segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Nitiren Nictheróy


O mestre De Luna, lider da Nitiren Nictheróy, fazendo o gongyo do dia, as orações da Sociedade Religiosa Nitiren Nictheróy, é eficaz e resolve seus problemas do dia à dia...experimente o Daimoku e Gongyo diário da Nitiren Nictheróy, e faça uma revolução humana em suas vidas...
Nitiren Nictheróy,
Mestre De Luna
17/08/2008

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Musica Budista para Meditar


Gohonzon Supremo Nitiren Nictheróy


O Gohonzon, supremo tesouro da vida e do Universo - a Lei Mística do Nam-myoho-rengue-kyo. Esse mapa nos revela que o tesouro pode ser encontrado dentro de nós. Para aqueles que conseguem compreender o mapa, ele não é apenas um pedaço de papel, mas sim um objeto inestimável, um 'tesouro', ou seja, é a condição e o potencial supremos da própria vida.

Nitiren Nictheróy Gohonzon


Alguns dos caracteres contidos no Gohonzon representam deuses budistas. Nitiren Nictheróy utilizou-os para representar as funções do Universo e da nossa própria vida. Todas essas funções estão reunidas em torno da Lei do Nam-myoho-rengue-kyo. Portanto, o Gohonzon é a personificação da vida do Buda dentro de nós.

O Iluminado


A alma de Nitiren é o próprio Nam-myoho-rengue-kyo

Dai Nitteno protetor da Nitiren Nictheróy


Dai Nittenno:

Grande Rei Celestial do Sol, ou deus do sol. A divindade do sol, adotada no budismo como um deus protetor. Afirma-se ser ele um subordinado de Taishaku.

Daimoku Sancho


O Mestre de Luna recitando o sancho, nan-myoho-rengue-kyo

Ano do Desenvolvimento - Nitiren Nictheróy


O presidente da Sociedade Nitiren Nicterói, o mestre De Luna, está precisando de doações para limpesa do Templo e manutenção, os adeptos e amigos leigos que puderem ajudar qualquer quantia e material podem fazer as doações pelo BANCO ITAÚ, conta número: 10655-7 agência 4566 a favor de EDSON FREIRE, toda segunda-feira às 18:00 horas - reunião de criação de valores humanos da Nitiren Nictheróy.

Nitiren Daishonin


O presidente da Sociedade Nitiren Nicterói, o mestre De Luna, está precisando de doações para limpesa do Templo e manutenção, os adeptos e amigos leigos que puderem ajudar qualquer quantia e material podem fazer as doações pelo BANCO ITAÚ, conta número: 10655-7 agência 4566 a favor de EDSON FREIRE, toda segunda-feira às 18:00 horas - reunião de criação de valores humanos da Nitiren Nictheróy.

Nitiren Nictheróy


O presidente da Sociedade Nitiren Nicterói, o mestre De Luna, está precisando de doações para limpesa do Templo e manutenção, os adeptos e amigos leigos que puderem ajudar qualquer quantia e material podem fazer as doações pelo BANCO ITAÚ, conta número: 10655-7 agência 4566 a favor de EDSON FREIRE, toda segunda-feira às 18:00 horas - reunião de criação de valores humanos da Nitiren Nictheróy.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

A Sociedade Nitiren Nicteróy - 2008 ano do desenvolvimento


O presidente da Sociedade Nitiren Nicterói, o mestre De Luna, está precisando de doações para limpesa do Templo e manutenção, os adeptos e amigos leigos que puderem ajudar qualquer quantia e material podem fazer as doações pelo BANCO ITAÚ, conta número: 10655-7 agência 4566 a favor de EDSON FREIRE, toda segunda-feira às 18:00 horas - reunião de criação de valores humanos da Nitiren Nictheróy.

domingo, 10 de agosto de 2008

A vida de Nitiren Daishonin


Desde muito cedo em sua vida ele acalentava o desejo de resolver o problema fundamental da vida, como ele descreve mais tarde em "Resposta a Myoho- ama".



“Sempre, desde minha infância, tenho estudado com um pensamento em mente. A vida de um ser humano é pateticamente fugaz. O homem dá o seu último suspiro sem esperança de encontrar uma outra existência.
Nem mesmo o orvalho levado pelo vento basta para descrever essa transitoriedade. Ninguém, sábio ou tolo, jovem ou idoso, pode escapar da morte.
O meu único desejo, portanto, tem sido a resolução deste mistério eterno. De resto, tudo é secundário.”

A vida de Nitiren Daishonin


Nitiren Daishonin nasceu em 16 de fevereiro de 1222, na vila de Kominato, costa leste da Provincia de Awa, atual Prefeitura de Tiba.

Seu pai chamava-se Mikuni-no-Tayu, e sua mãe Umeguiku. Eles constituiam uma família de pescadores.

Como Nitiren Daishonin afirma na "carta de Sado", ele foi "filho de uma família chandala".

Chandala é a classe mais baixa no sistema hindu, abrangendo profissões como a dos pescadores carcereiros ou verdugos.

Nitiren Daishonin reconhece que a sua origem foi a do tipo mais humilde. Na infância, recebeu o nome de Zennitimaro, e viveu na vila pesqueira até a idade de doze anos. Depois disso deixou o lar para estudar o Budismo em um templo próximo chamado Seityoji.

Depois disso deixou o lar para estudar o Budismo em um templo próximo chamado Seityoji.
Aquele templo pertencia a Seita Tendai. Desta forma, Nitiren Daishonin estudou as doutrinas da Tendai, assim como as da seita Shingon.

Ele colocou-se sob a orientação de Dozembo, o chefe religioso de Seityoji. À medida que se dedicava aos estudos, ele começou a deparar-se com várias questões....

KARMA


Las enfermedades pueden clasificarse en dos tipos: leves y graves. El tratamiento precoz de un médico experimentado cura aun las enfermedades graves, sin mencionar las leves.

El karma también puede dividirse en dos tipos: mutable e inmutable. La tendencia piadosa transformará el karma inmutable, sin mencionar al mutable. El séptimo volumen del Sutra del Loto dice: "Este Sutra es la mejor medicina para toda la humanidad". Todas las enseñanzas del Buda son infaliblemente verdaderas desde el inmensurable pasado. De ellas, el Sutra del Loto es la más exacta tal como lo expresa en una parte, "Honestamente descarte las enseñanzas provisionales". El Buda Tajo verificó esto y todos los Budas atestiguaron su validez. Entonces, ¿cómo puede ser faso?.

Escola Nitiren Nictheróy


Escola budista, fundada em 28 de julho de 2008 por um discipulo de Nitiren em Niterói. Em 2008, conta com um centro no bairro de São Domingos, em Niterói - RJ - Brasil. Segundo informações do templo 50 pessoas a praticam.

Como as demais escolas do Budismo de Nitiren, a Nitiren Nictheróy tem como cânone principal o Sutra do Lótus e como principal prática a recitação do Daimoku. Dessas escolas é a Nitiren Nictheróy que melhor diálogo mantém com a filosofia e Deus, no Brasil.

sábado, 9 de agosto de 2008

Escola Nitiren Nictheróy - Mestre de Luna


A Missão do Mestre de Luna é ensinar a todas as pessoas a recitar o Nan - Myoho - Rengue - Kyo

Nitiren Nitheróy - De Luna - Sociedade Budismo


Japanese Buddhist prophet, founder of Nichiren Buddhism. The son of a fisherman, he entered a Buddhist monastery at age 11. After an exhaustive study of all the major Buddhist schools in Japan, he concluded in 1253 that the Lotus Sutra was the only doctrine suitable for his age and predicted calamity for Japan if all other sects were not abandoned. This pronouncement caused him to be banished from his monastery. He also claimed that Japan was the chosen country of Buddhism, from which Buddhist salvation would spread to other lands. He was later exiled to an island in the Sea of Japan, where in 1272 he wrote his major work, Liberation from Blindness.

A Luz de Nictheróy


Eu sou a Luz, que ilumina a vida...

Aguas Escondidas - Nictheróy


Alguns grupos hoje caracterizam os eforços de Nitiren como uma tentativa de reformar o Budismo de sua época. Entretanto, Nitiren não estava tentando reformar os demais grupos. Sua intenção era que o governo parasse de sustentar as demais seitas ou escolas budistas e que as pessoas parassem de seguir esses ensinamentos, pois baseado em seus estudos dos sutras, ele estava convencido que estas seitas seguiam ensinamentos errados.

Recebi a Iluminação do meu Pai Grande Mestre


O Budismo de Nitiren Daishonin fundamenta-se na afirmação de que todas as pessoas têm o potencial de atingir a iluminação. Esta idéia é a epítome do Budismo Mahayana, uma das duas principais divisões do Budismo. Surgiu na Índia após a morte de Sakyamuni, através de um movimento de popularização dos ensinos do Buda. Seus discípulos não se isolaram da sociedade como alguns grupos budistas anteriores. Ao invés disso, lutaram para a propagação em meio ao povo e para auxiliar as outras pessoas no caminho da iluminação. Portanto, Mahayana é caracterizado pelo espírito de benevolência e altruísmo.

Nitiren Nictheróy


O Mestre De Luna, recebeu a missão da propagação do Bubismo em 27 de setembro de 1983, e no ano de 2008, recebeu a luz eterna suprema do mestre Nitiren Dashonin e do eterno Pai, para a concretização da PAZ mundial, a partir do dia 26 de julho de 2008.

Nitiren Nictheróy


Nitiren ou Nichiren (em japonês 日蓮) (16 de fevereiro, 1222 - 13 de outubro, 1282), nascido Zennichimaro (善日麿), mais tarde Zeshō-bō Renchō (是生房蓮長) e algumas vezes chamado de Nichiren Shōnin (日蓮聖人) ou Nichiren Daishōnin (日蓮大聖人), era um monge budista do Japão do século 13. Fundou o budismo Nitiren, um importante segmento do budismo japonês que engloba dúzias de escolas de diversas interpretações doutrinárias. Antes de falecer entretanto deixou documentos transferindo seus ensinamentos a seu discipulo Nikko que construiu um templo chamado de Templo Principal Taisekiji, onde é a sede da Nichiren Shoshu.

Em algumas escolas, notavelmente a Nitiren Shoshu e associação de leigos, a Soka Gakkai (representada no Brasil pela BSGI) foi alçado à condição de Buda original da era de Mappô. Outras escolas, como a Nitiren Shu, o tem como patriarca mas seguem o Buda Shakyamuni.

Budha e Deus a União Perfeita


Estado de Budha, é um estado iluminado...de grande satisfação e realização!

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Paulo da Hora


O Maestro Paulo da Hora, faz uma apresenta~ção especial na palestra REIKI da Mestre Maria Cristina Ramos na AFBA, sob a presidência do Comendador De Luna Freire

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

A Transmigração da Alma


O dogma da transmigração da alma, segundo alguns estudiosos, vem de muito longe, da pré-história, do homem selvagem e foi-se formando pouco a pouco.

No mais antigo monumento literário da india, o Rig-Veda, 1.500 a.C., na opinião de Belloni-Filippi e outros, não se encontra traços da metempsicose (sanmsâra). Aí se fala de celestes gozos, ultra terrenos, prometidos aos bons e de profundos lugares de trevas destinados aos maus. Uma vez decidida a sorte de uns e de outros, falta qualquer referência à volta do outro a êste



mundo. Há no entanto quem pense que no Rig-Veda, 10. 16-3, baseado no sanscritólogo S. Levi, se encontra vestígios dessa doutrina. Eis o trecho: «que l'oeil aille au soleil; au vent, le souffle; au ciel va-t'en; à Ia terre, selon le loi; au bien aux, va-t'en, si c'est ton bien; dans le plantes installe-toi avec tes membres».

Na opinião de Formichi, na literatura brahamânica já se encontram essas idéias mais claras. Porém, onde essa doutrina encontra larga messe é nas Upanishadas do VI séculos a.C.

No Budismo não é lícito falar em transmigração da alma ou de metempsicose, porém só em reencarnação. O que o Budismo admite continuar a subsistir depois da morte do indivíduo é somente o efeito das suas ações (Karman), o qual constringe as disposições ou tendências do indivíduo a encarnar-se sem que nada migre do corpo deposto no novo que se assume. Sucede mais ou menos aquilo que se dá quando uma lâmpada acende outra. No diálogo entre o rei Milinda e o sábio Nâgasena, deparamos com o trecho seguinte:


«disse o rei -- Bhande Nâgasena, como pode o renascimento acontecer sem que nada transmigre? Dá-me um exemplo.

Suponde, Magestade, que alguém acenda uma luz de uma outra luz; ora, a primeira lâmpada é porventura passada na segunda?
Não, na verdade, Bhante.

Daimoku

NAN - Devotar a própria vida MYOHO - Lei Mística, que é a realidade imutável e a essência real de todos os fenômenos. " Myo " significa místico e indica a profundidade da vida; não no sentido de milagre, mas de algo além da compreensão do homem. E " ho " indica a natureza básica da origem e desenvolvimento da vida. RENGUE - Flor de Lótus, que sinboliza a simultaneidade de causa e efeito, pois a flor e a semente germinam ao mesmo tempo. Kyo - Sutra ou ensino do Budha, que é eterno e se propaga pelas três existências da vida ( passado, presente e futuro ).
video

domingo, 3 de agosto de 2008

Siddharta Gautama


Não houve ninguém a quem se possa chamar “O” Buda, pois Buda é um estado mental que existe em todos os seres.

Todos os seres vivos são potenciais Budas.

Contudo, aquele que conhecemos por Buda, trata-se de Siddharta Gautama, assim designado depois de atingir a iluminação.

Siddharta Gautama foi um dos príncipes do clã Shakya, há época um dos reinos do Norte da actual Índia e Sul do Nepal.

Kapilavastu era a capital deste reino, que,
embora fosse rico em termos agrícolas, não era um reino completamente independente, sendo suserano do vizinho reino de Kosala.

Por volta dos séculos VI-V a.C., o reino Shakya era governado pelo rajá Shuddhodana Gautama, membro da casta guerreira. O rei era casado com sua prima Maya-devi Gautami e, apesar de quererem ter filhos, não conseguiram tê-los.

Shuddhodana, com mais de 50 anos de idade e sua mulher com 45, tinham já perdido a esperança de ter descendência.

Mas certa vez Maya sonhou com um belo elefante branco que a abençoava.

Contando este sonho, sete sábios interpretaram
esta “visão” como o prenúncio do nascimento de um filho prodigioso: ele seria um grande rei ou imperador universal (sânsc. chakravartin) se vivesse no palácio de seu pai, ou um asceta (sânsc. bhikshu) se renunciasse ao trono.

Shuddhodana ficou ao mesmo tempo esperançoso e preocupado.

Ele não queria que seu filho fosse um asceta, mas sim um grande imperador, que pudesse solucionar os problemas do reino e aumentar o poder do seu clã.

No fim de uma gestação de 10 meses, Maya seguiu a tradição indiana e viajou para a casa de seus pais em Kapilavastu, a fim de aí ter o seu filho.

O filho de Maya nasceu perto daquela cidade, nos jardins de Lumbini, no alvorecer do 8º dia do 12º
mês lunar de 565 a.C.

Sob uma grande árvore ashoka, a rainha deu a luz à um menino que, de acordo com a tradição, saiu debaixo de seu flanco direito.

Segundo estas histórias, a criança deu sete passos na direcção de cada ponto cardeal e flores de lótus desabrocharam nos lugares pisados.

Algumas tradições dizem que ele apontou para o céu com a mão direita e para a terra com a mão
esquerda, dizendo: "Entre o céu e a terra, sou o único que é digno de veneração!" Segundo outras tradições, ele teria dito: "Sou o líder do mundo, sou o guia do mundo.

Budha


O Budismo chegou ao Brasil na década de trinta, trazido pelos primeiros imigrantes chineses, japoneses e coreanos. E o fato de sua chegada ter sido um tanto tardia, propiciou uma situação única e bastante promissora, pois o “Zen Brasileiro” encontrou um terreno “limpo”, sem as influências encontradas nos países que já o praticam há muitos séculos e que por isso, acabaram por adaptar a doutrina às suas próprias culturas e necessidades.



Tendo a plena consciência do quão benéfico pode ser aos brasileiros, o aprendizado e a prática de acordo com os ensinamentos originais deixados por Shaquiamuni Buddha, os sacerdotes que atuam no país, têm-se esmerado para semear o solo fértil que se apresenta, com as sementes mais puras que conseguiram obter, através dos muitos anos de estudo e práticas.

NAN _ MYOHO _ RENGUE _ KYO

NAN-MYOHO-RENGUE-KYO

videoNAN - Devotar a própria vida MYOHO - Lei Mística, que é a realidade imutável e a essência real de todos os fenômenos. " Myo " significa místico e indica a profundidade da vida; não no sentido de milagre, mas de algo além da compreensão do homem. E " ho " indica a natureza básica da origem e desenvolvimento da vida. RENGUE - Flor de Lótus, que sinboliza a simultaneidade de causa e efeito, pois a flor e a semente germinam ao mesmo tempo. Kyo - Sutra ou ensino do Budha, que é eterno e se propaga pelas três existências da vida ( passado, presente e futuro ).

Mestre De Luna

video

sábado, 2 de agosto de 2008

O Som do Universo...


Nam-myoho-rengue-kyo

Uma bela flor, uma pintura na tela...estado de Budha


As pessoas possuem naturezas, desejos, comportamentos, pensamentos e julgamentos diferentes, por essa razão os budas empregam diferentes ensinos, várias parábolas e histórias sobre relações causais para possibilitá-las a criarem boas causas para atingirem o mesmo estado de vida que eles atingiram.

A Lei propagada pelo Buda
é comparável a uma grande nuvem
que com uma nutritiva chuva,
umedece as flores humanas
de tal forma que elas possam florescer.
(Sakyamuni)

O KARMAN




Gótamo afirma que o homem é um ser livre e taxa de herético quem afirma o contrário. O homem é o artífice de si mesmo; é o salvador de si próprio. É interessante a doutrina do Karman. O Budismo é contra o materialismo. Há uma coisa que não desaparece: é a ação. Os efeitos das nossas boas ou más

59

ações subsistem depois da morte, são a única realidade inerente a minha pessoa na eternidade. Não posso dizer, raciocina o budista, que o ôlho é meu, porque envelhece, posso perdê-lo, morre; o pensamento não me pertence, porque muda, posso perdê-lo, morre; nada posso chamar meu, porém a ação, sim, esta é minha. A ação, êste último resíduo da análise praticada no meu ser, no mundo todo que me cerca, me salva do materialismo, constitui o elo de conjunção entre o visual e o invisível, é o sustentáculo da Metafísica. Consigo aferrar-me a uma realidade, posso finalmente dizer que «eu sou enquanto opero, enquanto quero». Êste operar, êste querer é livre, porque é justamente meu, constitui o meu ser. A liberdade de querer constitui uma axioma budista. Sâkyyainuni disse: «Eu ensino que existe uma obra, uma ação, um querer».

O processo do universo é uma constante transformação dos mesmos elementos, dá origem a novas formas sempre na base da mesma substância. Daí o fato da morte não ser destruição, porém, somente, transformação, renovação, evolução. Cita-se êste pensamento: «Tudo o que nasce morre... tudo aquilo que morre nasce». Nascimento e morte são dois termos correlatos, um pressupõe o outro. Ora, a força que mantém um ato, o processo mundial, é o Karman, isto é, a ação cujas raízes profundas se encontram na arcaria natural, sêde de viver. A ação produz necessàriamente um produto que lhe corresponde, é em outros termos, diz Formichi, causa de um efeito bem determinado. A lei da casualidade domina não somente o mundo físico, mas também o mundo moral.

Diferenças e Semelhanças entre Budha e Cristo





Têm-se feito vários estudos para demonstrar a afinidade entre o Budismo e o Cristianismo. Pergunta-se qual é a fonte originária que pode explicar essas idéias comuns. Nem o Budismo influiu na Cristianismo, nem o Cristianismo no Budismo, pensam vários estudiosos.

Um indianista afirma que os Evangelhos são independentes dos textos budistas. Há certas verdades em filosofia e em religião que são comuns, porque são universais.

Há diferenças notáveis entre o Cristianismo e o Budismo, como também há entre êles grandes semelhanças.

Apresentamos apenas alguns exemplos, porque o campo é vasto.

A doutrina de Buda é difícil, é doutrina só para os sábios: «A minha doutrina, diz ele, é profunda, difícil, árdua, para ser compreendida: sublime e digna de somente ser conhecida pelo sábio». Embora seja fato que Buda se dirige a todas as pessoas sem distinção, apresenta entretanto conceitos que deixam à margem as crianças, as mulheres, as quais, afirma ele , «não podem obter o céu», e considera os humildes, os ignorantes, as massas, como «Vil vulgo».

Jesus, ao contrário, se dirige às crianças nêsse convite que emociona: «Deixai vir a mim os pequeninos.» Dirige-se ainda a todos nestes termos: «Vinde a mim todos...» Mateus 11:28. «Sim, vinde a mim, as mulheres, os miseráveis, os pobres e os pobres de espírito».

O Budismo ensina que o homem se salva por si mesmo, pelos seus próprios esforços. O Cristianismo ensina que o homem é salvo por Cristo, mediante a fé.



O Budismo é a religião da dor.

O Cristianismo é a religião do amor.

Ambas são religiões da salvação, porém há grande diferença entre uma e outra na maneira de alcançá-la.

Por outro lado há, entre elas, grandes semelhanças, as quais impressionam a muita gente.

O nascimento de Buda foi miraculoso, como foi miraculoso o nascimento de Cristo.

Buda foi tentado pelo demônio Mâra, Cristo foi tentado pelo Diabo no deserto.

Buda foi chamado a «luz». Jesus afirmou: «Eu sou a luz do mundo».

Buda disse a seus discípulos: «Vós sois a luz». Jesus, por sua vez afirmou aos discípulos: «Vós sois a luz do mundo».

Buda mandou pregar a sua lei a todos os homens: «A minha lei, disse ele, é uma lei de graça para todos, pois a lei que ensino é absolutamente pura, ela não faz distinção entre patrícios e plebeus, entre ricos e pobres».

Cristo afirmou aos discípulos: «Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda a criatura», Marcos 16:15.

Buda na hora de morrer disse aos discípulos: «Eu estarei sempre no meio de vós, como no meio de todos aquêles que praticam a doutrina que ensinei».

Cristo afirmou aos seus seguidores: «Eu estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos».
Buda ao morrer, disse: «Dá-me um pouco dágua, tenho, sêde e quero beber».

Cristo na cruz, afirmou: «Tenho sêde».



Há semelhança entre o sermão de Buda em Benares e o Sermão de Cristo, no Monte. Buda fala por síntese, Jesus fala por análise; Buda fala à inteligência, Cristo fala ao coração.

Se é fato que Buda é «o mais sábio dos homens», Cristo é o mais divino dos homens.

Ao estudar essas religiões é preciso ter a mente aberta e tomar em consideração as diferenças e as semelhanças e pesquisar e ver onde essas verdades eternas se encontram.

A verdade não teme confronto e Cristo, de uma feita, disse: «Eu sou a verdade».

Budha e Deus, a união perfeita De Luna


Reunião de Estudos, a formação do Universo, Budha e Deus com o Mestre De Luna, toda terça-feira das 18:00 horas às 19:30 horas na Sociedade religiosa Nitiren Nictheróy em São Domingos - Niterói - RJ
Tel: 21 2622-6745 // 21 8254-0082

Ghandhi 1913 - ativista da não-violência


Em novembro de 1913 Gandhi conduziu uma marcha com mais de duas mil pessoas. Gandhi foi preso e solto após pagar fiança. Logo após o prenderam novamente e o libertaram, e novamente foi preso depois de quatro dias de liberdade. Foi então condenado ao trabalho forçado durante três meses, mas as greves continuaram, envolvendo aproximadamente 50.000 operários e milhares de índianos foram escravizados na prisão.

Alguns missionários Cristãos doaram todo seu dinheiro para o movimento. Foram libertados Gandhi e outros líderes, e foi anunciada outra marcha. Porém, Gandhi recusou tirar proveito através de uma greve em uma estrada de ferro dos "brancos" (já que certa vez Mohandas Gandhi havia sido expulso de um compartimento de primeira classe de um trem, ao se recusar a "ceder" o seu lugar à um branco e se mover para a terceira classe), sendo que Gandhi cancelou a marcha, apesar de estar "quebrando" o penhor de Sujeira (1908). "Perdão é o ornamento do valente", Gandhi explicou.

Finalmente através de negociação os assuntos estavam resolvidos. Todos os matrimônios independente da religião eram válidos; os impostos em atraso foram cancelados e inclusive os operários contratados; e foi concedida mais liberdade aos indianos.

Gandhi constatou o poder do método de Satyagraha e profetizou como poderia transformar a civilização moderna. "É uma força que, se ficasse universal, revolucionaria ideais sociais e anularia despotismos e o militarismo."

Satyagraha, a força da verdade

O primeiro uso de desobediência civil em massa ocorreu em setembro de 1906. O Governo de Transvaal quis registrar a população hindu inteira. Os hindus formaram uma massa que se encontrou no Teatro Imperial de Joanesburgo; eles estavam furiosos com a ordem humilhante, e alguns ameaçaram exercer uma resposta violenta a ordem injusta.

Porém, eles decidiram em grupo a se recusarem a obedecer as providências de inscrição; havia unanimidade completa, apenas alguns se registraram. Ainda, Gandhi sugeriu aos indianos que levassem um penhor em nome de Deus; embora eles fossem hindus e muçulmanos, todos acreditavam em um e no mesmo Deus. Gandhi decidiu chamar esta técnica de recusar submeter a injustiça de Satyagraha que quer dizer literalmente: "força da verdade" . Uma semana depois de desobediência, as mulheres Asiáticas foram dispensadas do registro. Quando o governo de Transvaal finalmente pôs em pratica o "Ato de Inscrição Asiático" em 1907, Gandhi e vários outros hindus foram presos.

A pena dele foi de só dois meses sem trabalho duro, dedicando-se durante esse período à leitura. Durante a vida, Gandhi passaria um total de mais de seis anos como prisioneiro. Enquanto lendo em prisão Gandhi descobriu a "Desobediência Civil" de Thoreau e os trabalhos de Tolstoy. Logo ele começou a perceber cada vez mais as possibilidades infinitas do "amor universal".

A simplicidade foi a Herança que recebi de Deus


O princípio do satyagraha, freqüentemente traduzido como "o caminho da verdade" ou "a busca da verdade", também inspirou gerações de ativistas democráticos e anti-racistas, incluindo Martin Luther King e Nelson Mandela. Frequentemente Gandhi afirmava a simplicidade de seus valores, derivados da crença tradicional hindu: verdade (satya) e não-violência (ahimsa).

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Mestre De Luna


A União da Doutrina Budista e o Supremo Deus que move todo o Universo, toda segunda-feira às 18:00 horas na Nitiren Nictheróy em São Domingos - Niterói - RJ - Tel: 21 2622-6745 // 21 8254-0082, com o Mestre De Luna

Estudos - A Vida de Nitiren Daishonin


Todo domigo à partir das 10:00 horas, temos estudos da vida de Nitiren Daishonin, na Sociedade Nitiren Nictheróy, em São Domingos - Niterói - RJ -
Tel: 21 2622-6745 // 21 8254-0082, com o mestre De Luna

Causa e Efeito


Toda quarta-feira, estudo da Lei de Causa e Efeito na Nitiren Nictherói, em São Domigos - Niterói
Tel: 21 2622-6745 // 21 8254-0082
Mestre De Luna

Meu Pai e Meu Mestre


Budismo Nitiren Daishonin
Nitiren Daishonin, nosso eterno Mestre, após enfrentar várias perseguições por refutar a heresia de outros ensinamentos, estabeleceu seus ensinos com a única finalidade de que todos os seres humanos alcançassem a felicidade. De acordo com esse budismo, tudo o que passamos em nossa vida, são efeitos de nossas atitudes, causas que cometemos desde outras existências, já que acreditamos na eternidade da vida. O maior objetivo do advento de Nitiren Daishonin, é a concretização da Paz Mundial (Kossen-rufu). Nesse Budismo não existe mandamentos, apenas é necessário que saibamos respeitar uns aos outros e que nos conscientizemos de que tudo depende unicamente de nossa determinação, de nós mesmos.